quinta-feira, junho 18, 2015

"Pastel de bacalhau com queijo da serra": o novo petisco?



Há coisas que me deixam arrepiado. E não estou a pensar na brisa fresca que tem soprado nestas últimas tardes de quase-verão. Estou a referir-me à já denominada "guerra do pastel de bacalhau" que tem sido tema obrigatório nas redes sociais e nos blogues.

E o caso não é para menos. Então não é que uns "iluminados criativos culinários" se lembraram de inventar o "pastel de bacalhau com queijo da serra"? Uma coisa que poderá lembrar o tradicional pastelinho de bacalhau a babar-se com queijo da serra. Ora, que eu me babe por um queijo da serra não é de estranhar, pois é um manjar dos céus. Agora, o pastel de bacalhau, uma das jóias mais perfeitas e mais queridas da nossa gastronomia popular, babar-se por um queijo (ainda que da Serra, e do bom), convenhamos que não lembra o diabo.

Não diria, como Maria de Lurdes Modesto (ela que é uma referência maior destas artes), que é uma "obscenidade". Não vou tão longe. Mas acho estranho, no mínimo, um "casamento" como este, que os seus criadores anunciam - entusiasticamente - como "Dois sabores tradicionais. Uma especialidade única". Tretas, obviamente que não estou de acordo.

Aliás, nem percebo a mania de querer ser inovador em matérias que foram descobertas há muito e são tão apreciadas tal como estão. Afinal, querem inventar o quê? Como li algures, "o que querem é achincalhar o património gastronómico nacional. Já temos o pastel de nata de kiwi e a alheira de bacalhau". A seguir, digo eu, é capaz de ser lançada a mais bela de todas as especialidades: morangos com maionese.

E como questionou Maria de Lourdes Modesto: "Ninguém com poder toma conta disto?”. Parece que não ...